O pré-candidato a governador do Estado pelo PT, Jerônimo Rodrigues, demonstrou indignação diante dos números apresentados, nesta quarta-feira (8), pela Rede Penssan (Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional), ao apontar que atualmente 33 milhões de pessoas passam fome no Brasil e mais da metade (58,7%) da população brasileira vive com insegurança alimentar. Os números correspondem a quase o dobro dos registrados em 2020.

“O governo da fome fez o Brasil retroceder 30 anos em apenas 3 anos e meio. Hoje, 33 milhões de pessoas não têm o que comer no nosso país, mesmo patamar de 1993. Isso é inaceitável, é um absurdo. Essa situação causa indignação a mim e a Lula”, lamentou Jerônimo, em publicação no Twitter.

O pré-postulante petista também criticou o silêncio dos dois pré-candidatos na Bahia: um, o ex-ministro responsável justamente pela pasta que cuida dos Programas Sociais do Governo Federal e, o outro, dirigente do União Brasil, partido que deu total sustentação às políticas bolsonaristas no Congresso Nacional.

“Nos dois pré-candidatos do atual presidente aqui na Bahia, a fome só provoca silêncio. E silêncio diante da fome é covardia”, condenou o petista, ao defender o combate à fome como prioridade do próximo presidente da República. “Nós somos do time de Lula e entendemos que nada pode ser mais urgente, mais importante do que combater a fome. Com Lula Lá, o povo brasileiro vai voltar a fazer três refeições por dia, a ter emprego, dignidade e esperança. E nós aqui, vamos trabalhar junto com o nosso presidente para seguir mudando a Bahia, cuidando cada vez mais e melhor dos baianos e baianas”, tuitou.