Na manhã dessa quarta-feira (13), durante o Programa na Boca do Povo, a ouvinte Renilda relatou o caso que aconteceu com sua nora Monize de Jesus Morais, gravida de 39 semanas. A família acusa a maternidade Santa Helena por negligência no atendimento da gestante, resultando na morte do bebê.

Segundo Renilda, o posto de saúde Sarah Kubitschek, disponibilizou um documento para a família com caráter de urgência, para que no dia 30/12, a gestante desse entrada na maternidade para realizar uma cesária. Foi a unidade de saúde que realizou todo o acompanhamento gestacional de Monize.

No dia marcado, a gestante junto ao marido foi até a maternidade, realizou exames para verificar os batimentos cardíacos do feto, foi informada por uma enfermeira que estava tudo bem e encaminhada para casa.

Acreditando haver algo errado, pois a médica que lhe acompanhou na unidade de saúde, solicitava com urgência o parto cesário. Monize voltou à maternidade no dia 07/01 pela manhã, enfatizando o pedido do posto de saúde, e mais uma vez foi encaminhada para casa.

Segundo Renilda, após o ocorrido na maternidade, ela pediu que a nora fosse realizar uma ultrassom em uma clínica particular, para verificar o bebê e foi então que constataram que o feto estava morto.

“ Quando meu filho me ligou, e disse que o bebê estava morto eu entrei em desespero”, disse Renilda ao vivo na Am1310, que ainda informou que Monize só conseguiu entrar na maternidade na sexta-feira (08) pela manhã, após entrar em contato com o secretário de saúde Magela.

Já no hospital, Monize tomou medicações para induzir o feto a sair, porém, não obteve sucesso, chegando a ter desmaios. Revolta com toda a situação Renilda denunciou o caso em grupos do WhatsApp e foi até a delegacia prestar uma queixa. Conseguindo assim que o bebê fosse retirado.

Renilda agradeceu o espaço que a Rádio Bahiana lhe ofertou e informou que continuará em busca de justiça.