Cidade de Novo Horizonte era a única cidade do Estado que não tinha registro de casos da covid-19

De acordo com o boletim divulgado pela Secretária da Saúde do Estado nesta terça-feira,22, todos os 417 municípios do estado registraram pacientes com a Covid-19. Até a segunda-feira, somente a cidade de Novo Horizonte – que fica na região da Chapada Diamantina – não tinha casos da doença.

Os pacientes infectados no município são uma mulher de 36 anos e um garoto de 11, mãe e filho, que estão assintomáticos. Além dos dois, a família é composta por mais duas pessoas: o marido e um outro filho da mulher, que testou positivo.

Conforme Aílton Alexandre, a família é natural de Novo Horizonte, mas morava em São Paulo, e resolveram voltar para Bahia, após perderem os empregos. O homem, teve a confirmação para a Covid-19 ainda em São Paulo.

“A família teve sintomas lá em São Paulo. O homem foi para um posto por causa dos sintomas. Primeiro, ele fez o teste rápido. Mas, então, pediram para fazer o PCR. Ele realizou. Como ele estava seguro que o teste, o primeiro, deu negativo, ele mandou todas as coisas que estavam com ele para a casa dele, no povoado de Novo Horizonte. Apesar disso, já quando eles estavam para vir, o resultado do homem deu positivo. A orientação que ele recebeu, na época, foi que, caso viajasse, avisasse sobre o resultado para a secretaria local. Como ele não tinha mais nada lá, já tinha mandado tudo, ele veio”, contou o secretário.

Ainda de acordo com Aílton Alexandre, o homem comunicou sobre o teste positivo assim que chegou, no dia 31 de agosto. No entanto, o resultado dos testes do tipo RT-PCR (que coleta material genético das mucosas do nariz e boca), que foram feitos em toda a família, saiu na segunda. O homem, que veio de SP com a doença, teve o resultado negativo para a Covid-19, mas a esposa dele e o filho mais novo testaram positivo.

Aílton Alexandre, que já concedeu entrevista ao Programa Na Boca do Povo, da Rádio Bahiana, falou  sobre as táticas usadas pelo município para a contenção do vírus entre os munícipes, e adiantou que mesmo com as barreiras sanitárias o risco do vírus chegar a cidade, poderia acontecer com a flexibilização das normas de segurança.