Expectativa do ministério é imunizar 109,5 milhões de pessoas em um plano dividido em 4 fases. Apesar dos dados preliminares, ainda não há vacina com autorização de uso concedida pela Anvisa. (na foto o ministro da saúde Eduardo Pazuello)

“Se a Pfizer conseguir a autorização emergencial e nos adiantar alguma entrega, isso pode acontecer”, garantiu o ministro da Saúde do Brasil.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse hoje (9) que a vacinação contra Covid-19 no Brasil com o imunizante desenvolvido pela Pfizer/BioNTech pode começar entre dezembro e janeiro.

Pazuello explicou que se o governo federal fechar o contrato com a Pfizer e houver registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o calendário será antecipado. “Se fecharmos o contrato com a Pfizer e se a Pfizer conseguir a autorização emergencial e a Pfizer nos adiantar alguma entrega, isso pode acontecer no final de janeiro ou em dezembro”, afirmou.

Ainda de acordo com Eduardo Pazuello, o País só começará a vacinar em doses pequenas. “O uso emergencial pode acontecer agora, em dezembro, por exemplo? Em hipótese, se nós tivermos as doses recebidas, se nós fecharmos o contrato com a Pfizer. Isso pode acontecer no final de dezembro e começo de janeiro. Mas em doses pequenas”, disse o ministro.

O ministro disse ainda que o mesmo pode acontecer com a AstraZeneca e o Instituto Butantan.