I
Necessários para dar mais segurança e conforto à população que reside na zona rural, a manutenção e o reparo dos trechos vicinais seguem a todo vapor nas estradas que dão acesso aos distritos de Banco Central até Laje do Banco (BA-120), com início na BR-101 e ao distrito de Coutos, povoado de Santo Antônio e extensão da Rodovia Ilhéus-Buerarema (BR-251), ambas sob a responsabilidade do Governo da Bahia.

A melhoria foi solicitada ao ente estadual pelo prefeito Mário Alexandre, visto que algumas localidades se encontram dentro dos limites do município de Ilhéus. O trabalho é executado pela Superintendência de Infraestrutura de Transportes da Bahia (SIT), vinculada à Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra), mediante Contrato de Manutenção Regional e com parceria da Prefeitura de Ilhéus.

Mário Alexandre reforçou o compromisso com a melhoria das estradas rurais, utilizadas para escoamento da produção agrícola da região. A intervenção demandada pela população de Banco Central foi apresentada ao vereador Paulo Carqueija, que prontamente requereu junto ao prefeito celeridade na execução do serviço.

“A parceria com o Governo do Estado é fundamental para a manutenção regular desses trechos, que devido às fortes chuvas ficam com acesso limitado. Trabalhamos incansavelmente para proporcionar melhores condições de trafegabilidade em diversos pontos da cidade e com a população que mora no interior o compromisso não poderia ser diferente. Queremos garantir segurança a quem trafega e utiliza diariamente as vias”, ressaltou Mário Alexandre.

De acordo com Roberto Simões, engenheiro e coordenador técnico regional da SIT, o serviço consiste na regularização da via, através de abaulamento, patrolamento, encascalhamento e limpeza dos trechos, com uso de rolo compactador, trator de esteira, caminhão pipa, carregadeira e caçamba para transporte de cascalho.

Simões informou que o cronograma foi iniciado há 45 dias na região de Banco Central e há 10 dias nos trechos da Rodovia Ilhéus-Buerarema. Todavia, em virtude das chuvas intensas e atípicas que atingiram a região, houve dificuldades para executar um trabalho contínuo nas estradas vicinais estaduais durante o primeiro semestre.