Os estágio estavam suspensos desde o início da pandemia do novo coronavírus.

Nesta segunda-feira,5, o Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus, recebeu alunos de Medicina da UESC para o retorno ao internato hospitalar. As atividades dessa modalidade de estágio estavam suspensas desde o início da pandemia do novo coronavírus.

A suspensão dos estágios atingiu os estudantes da área de saúde das instituições de ensino superior e aconteceu por questões relacionadas à biossegurança, sendo aplicada em toda a rede da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia. Com a determinação do secretário Fábio Villas-Boas, o Hospital Costa do Cacau e o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da Administração Hospitalar  se articularam juntos, sob a coordenação da Escola Estadual de Saúde Pública, para garantir o retorno seguro dessas atividades.

Todo o trâmite de retorno do internato hospitalar atende aos requisitos jurídicos e o termo de edital da Escola de Saúde Pública da Bahia, além das resoluções da UESC. O Hospital organizou internamente diversos setores, como o Núcleo de Educação Permanente , Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho  e Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, entre outros, para oferecer um ambiente seguro aos estudantes e pacientes.

Durante o estágio, esses alunos de Medicina, das 5ª e 6ª séries, atuarão na Emergência, Enfermarias e Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com atendimento diário e plantão, sempre sob supervisão de um médico qualificado e especializado em cada um destes setores assistenciais. Cumprirão a disciplina Saúde do Adulto I e II, com 600 horas de teoria e prática, com atividades assistências, aulas, discussões de casos, seminários, acompanhados e orientados por médicos do Hospital Costa do Cacau e professores da UESC.

A médica Rosângela Melo, coordenadora da clínica médica e vice-coordenadora do curso de medicina da UESC, sinalizou que a unidade hospitalar adota as medidas adequadas para a realização do internato hospitalar. “Observamos fluxo de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), controle de procedimentos em biossegurança, paramentação, higienização, enfim, todos os requisitos possíveis que possam garantir o máximo de segurança das atividades”, destacou.