O médico Eduardo Kowalski é o responsável pelos estudos no Centro de Pesquisa e Estudos da Santa Casa

A Santa Casa de Misericórdia de Itabuna está entre as instituições brasileiras que vão participar de um estudo com pacientes infectados pelo novo coronavírus. O “Estudo Terapia Antitrombótica para Melhoria das Complicações da Covid-19” busca estabelecer se anticoagulação parenteral em dose terapêutica melhora os resultados (reduz a intubação ou a mortalidade) em 30 dias após a medicação.

O gerente e coordenador do Centro de Pesquisa e Estudos da SCMI, o farmacêutico Bruno Setenta de Andrade, explica que os participantes do estudo poderão receber anticoagulação terapêutica por 14 dias (ou até a alta hospitalar ou a liberação da necessidade de oxigênio suplementar, o que ocorrer primeiro). A meta é realizar a testagem em até 60 pacientes, que poderão se candidatar voluntariamente aos ensaios clínicos.

O ensaio clínico é patrocinado pela Universidade de Manitoba, do Canadá, e Fundação Zerbini de São Paulo, em parceria com o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Na Bahia, haverá dois centros de pesquisas em Salvador, e um no interior, onde a escolhida foi a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna.