pai da adolescente Hyara Flor, Hiago Alves, contestou em uma rede social o inquérito policial que apurou a morte da adolescente. O documento divulgado nesta sexta-feira (11) afirma que a garota foi morta pelo cunhado, uma criança de nove anos. Na ocasião, os dois brincavam com uma arma de fogo e houve um tiro acidental.

“Estou aqui indignado e revoltado, mas já esperava esse inquérito policial”, afirmou em um vídeo publicado nesta sexta.
Hyara Flor Santos Alves, de 14 anos, foi morta em julho deste ano em uma comunidade cigana, na cidade de Guaratinga, no sul da Bahia. O marido da adolescente, que também tem 14 anos, era considerado o principal suspeito do crime. Ele foi apreendido no dia 26 de julho, em Vila Velha, no Espírito Santo. Mesmo com o inquérito concluído, ele segue preso nesta sexta-feira.

Para o pai de Hyara, porém, a versão de que a filha foi morta durante uma brincadeira não é a verdadeira. Em um vídeo publicado em seu perfil em uma rede social, onde acumula quase 300 mil seguidores, ele acusou o delegado da cidade de ouvir “versões manipuladas”.

“Ele ouviu três pessoas manipuladas que tiveram tempo suficiente para manipular. Eles estavam soltos esse tempo todo, saíram correndo sem prestar socorro para a minha filha”.

Veja alguns pontos da investigação revelados pela polícia nesta sexta:

👉Resultado do inquérito foi baseado em relatos de testemunhas e elementos periciais;

👉A arma foi comprada pela mãe do adolescente em Vitória da Conquista após uma tentativa de sequestro que o filho sofreu em Guaratinga;

👉O adolescente tem entre 1,80m e 1,85m de altura, apesar de ter apenas 14 anos. Pela posição do tiro, foi descartado que ele fosse o autor do tiro;

👉O disparo foi de uma distância entre 20 e 25 cm. Ou seja, de perto;

👉Foi descartado a possibilidade do crime ter sido premeditado por causa da fuga. A família do adolescente parou em um posto de combustível, a caminho do Espírito Santo, e completou o tanque;

👉Sobre a violência doméstica: o laudo da necropsia não indicou sinais de violência doméstica internos e externos;

👉Testemunhas ouvidas pela polícia disseram, de forma unânime, que o casal tinha uma relação harmônica;

👉A versão da vingança por causa da traição não se sustentou com provas.