Agressões teriam acontecido em um condomínio, no bairro do Imbuí

A mulher de 25 anos que se jogou da janela de um banheiro no terceiro andar de um prédio no bairro do Imbuí, em Salvador, na tarde da última quarta-feira, 25, pediu ajuda a família, por meio de áudio, e detalhou as agressões que sofria da patroa e os momentos em que esteve presa em cárcere privado.

“Oh meu Deus, chama a polícia. Eu estou sendo agredida aqui. Estou sendo agredida aqui, nega, no trabalho, no Imbuí. Chama a polícia, chama a polícia, por favor, por favor”, disse em áudio enviado aos familiares por meio de um aplicativo de mensagens.

A babá, identificado como Raiana Ribeiro da Silva foi internada no Hospital Geral do Estado (HGE), mas recebeu alta ainda na quarta-feira. A suspeita é que ela tenha sofrido fratura nas pernas.

De acordo com a 9ª Delegacia Territorial (DT/Boca do Rio), a funcionária começou a trabalhar no local há oito dias, mas havia comunicado para a patroa que deixaria o emprego. Aos policiais, ela relatou ter sofrido agressões e ter sido confinada em um cômodo da casa.

Natural da cidade de Itanagra, no litoral norte da Bahia, Raiana encontrou a vaga através de um site e se mudou para Salvador após acertar a contratação por telefone. A vítima informou a polícia que iniciou o trabalho na quinta-feira, 19, e que no sábado, 21, comunicou a patroa que não poderia continuar a trabalhar no imóvel.

A partir deste momento teriam começado as agressões. A defesa da babá afirmou que ela chegou a ser trancada no banheiro.

Raiana detalhou que conseguiu mandar um áudio para a família, mas que logo em seguida o seu celular foi recolhido pela patroa. Os familiares da babá foram para Salvador, mas não conseguiram encontrar o condomínio.

O caso é investigado pela 9ª Delegacia Territorial (DT/Boca do Rio). A patroa foi intimada e será ouvida nesta quinta-feira, 26.