“Cumprimos com a nossa missão”. O sentimento de satisfação é do presidente da Comissão Permanente de Finanças, Orçamento, Obras e Serviços Públicos da Câmara Municipal de Ilhéus, vereador Alzimário Belmonte, o Gurita (PSD) ao encerrar hoje (28) pela manhã a segunda e derradeira Audiência Pública – exigência da Lei Orgânica do Município – para debater a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Esta lei contém todo o planejamento da elaboração do orçamento (LOA) do município para o ano seguinte, estabelecendo prioridades e metas a partir de um refinamento do Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG). Uma audiência pública já havia sido realizada na semana passada.

“Muitas vezes – reconhece a vereadora Enilda Mendonça -, as expectativas de obras e investimentos não “batem” com as ações governamentais, justamente pela falta de diálogo entre governo e sociedade”. Por este motivo, ela considera extremamente importante o debate do tema, acatando as sugestões populares ou de suas representações.

A Audiência de hoje contou com a presença de representantes do Executivo e Legislativo de Ilhéus e algumas poucas lideranças populares, a exemplo do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinsepi) e Conselho Municipal de Saúde, representados respectivamente por Rafel Santos e Marco Lessa. Do Legislativo, participaram do encontro os vereadores Gurita (PSD), Tandick Resende (PTB), Enilda Mendonça e Carlos Augusto, o Augustão, ambos do PT.

A fraca participação popular – apesar dos inúmeros avisos feitos através da mídia regional – ganhou destaque na avaliação dos vereadores. “Não dá para construir algo para a sociedade se não estivermos todos unidos nessa questão”, lamentou Tandick Resende, acrescentando que a discussão desta lei é que “define o que será Ilhéus nos próximos anos”. Para Augustão, “a cidade está caminhando para seus 500 anos e, para traçar os destinos dos próximos anos, precisa de uma participação de todos”.

A partir de hoje, ao fim das duas Audiências Públicas, a Câmara também encerra o prazo para que os vereadores possam fazer a apresentação de emendas à LDO. A partir daí, o relator da Comissão de Finanças, vereador Gurita, vai analisar tecnicamente as emendas apresentadas para ver se estão de acordo com as leis orçamentárias e acatá-las ou rejeitá-las, através de um parecer técnico. A expectativa é de que até o final de agosto a Câmara de Ilhéus vote a LDO.

Para Milton Nascimento, diretor de orçamento da Prefeitura Municipal de Ilhéus, que participou do evento, a montagem de uma estrutura a partir da alocação de recursos realizada na escuta dos anseios da população ilheense é fundamental para a gestão pública e para a população.