De 20 de dezembro a 06 de janeiro, durante o recesso forense, a Instituição retorna ao atendimento remoto.

Após avaliar que as taxas de ocupação de leitos nas UTI’s por causa da Covid-19 continuaram a subir nas últimas semanas, atingindo mais de 70% – segundo dados epidemiológicos da Secretaria de Saúde do Estado -, a Defensoria Pública do Estado da Bahia decidiu que o atendimento durante o recesso forense será realizado integralmente de maneira não-presencial. O recesso  forense é de 20 de dezembro a 06 de janeiro.

Embora haja anúncio de abertura de novos leitos pelo Governo do Estado e algumas prefeituras – o que indica que a taxa pode voltar a cair futuramente -, a Instituição toma a medida por cautela, preocupada com a saúde do corpo funcional da Instituição e com as pessoas a quem ela assiste, até que os novos leitos sejam inaugurados e as taxas normalizem.

De acordo com o defensor público geral, Rafson Saraiva Ximenes, a Defensoria Pública da Bahia continuará observando a dinâmica das taxas para definir as medidas que serão tomadas posteriormente. “Nós vamos continuar avaliando a situação para definir se em janeiro retornaremos ao atendimento presencial ou se precisaremos ingressar na fase vermelha de atendimento”, destacou o gestor.