Governador Rui Costa.

Prestes a assinar um contrato bilionário com um consórcio chinês para construção da Ponte Salvador-Itaparica, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), comentou sobre a dificuldade de conseguir investimentos durante o governo de Jair Bolsonaro. Na cerimônia de entrega de viaturas nesta terça-feira (3), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), o chefe do Executivo estadual disse que precisou se esforçar para convencer outras potências a investir na Bahia, mesmo diante da imagem negativa do Brasil no exterior.

“Não é fácil convencer o mundo de que olhe para os estados independente do olhar sobre o país. Não é fácil atrair investimento, gerar emprego, quando um presidente da República agride o que é hoje a maior potência do mundo. A China acabou de anunciar que vai comprar soja de outros lugares do mundo, deslocando parte da compra que fazia no Brasil. Isso porque nenhuma nação gosta de ser agredida”, disse Rui.

Na análise do governador, os ataques de Bolsonaro à China são decorrentes de pensamentos ideológicos, o que mostra “todo o seu despreparo para ser presidente”.

“Agride simplesmente o maior parceiro comercial do país (Brasil). Só isso que ele fez. O país (Brasil) só vai crescer se houver confiança, e é difícil levar confiança para os investidores com esse cenário. Graças a Deus, com muito esforço pessoal, a gente tem conseguido convencer alguns investidores de que, apesar do Brasil, a Bahia vale a pena.”